Sobre relacionamentos em Manaus

A gente nasce, cresce, tem que estudar, toma as vacinas, brinca, se apaixona e morre. Que a nossa cidade é um ovo, todos já sabem. Fulano já pegou a fulana que é ex do seu amigo que você já deu uns ‘pega’. Talvez a parte mais dolorosa de um relacionamento é dizer adeus com um pé na bunda. Em Manaus, são poucos os que realmente querem algo sério sem interesse. Tem gente que namora só pra postar foto, fazer checkin e marcar o boy, pega por status, pra gritar a felicidade nas quatro redes sociais, só pra não passar o Dia dos Namorados solteiro ou pra fingir um sentimento fantasma. 

É muito difícil ter um relacionamento sério aqui na nossa cidade. Ninguém é fiel, todos se pegam e no final fica por isso mesmo. Existe todo um processo desde o interesse até o primeiro encontro, o primeiro like, a primeira mensagem, o primeiro ‘bom dia’, a primeira transa. Você se empolga, acha que a pessoa está sendo fofa com você, mas não, ela é assim com outros cem.

A gente perdoa, cria falsas expectativas que tudo será como antes, mas acontece tudo de novo. E lá vai ele baixar o aplicativo de pegação atrás de outra vítima. Alguém que sacie seus desejos, carências e necessidades. Alguém que seja bonito por fora, porque sim, isso é o que importa. Eu quero mostrar que o boy é bonito para os amigos. Quero mostrar que eu estou bem. E vamos empurrando com a barriga. Lá vai ele de novo, adicionar nas redes sociais pra depois excluir e bloquear.

Somos julgados pelos amigos em comum no Facebook. Por quem já namoramos. Pelas fotos e viagens que já fizemos, e até pelo o que nunca fizemos. Sempre tem alguém que já ouviu algo sobre a nossa pessoa ou até de gente próxima mesmo. Ah! Mas você não é santo, ‘olha quem fala’ ‘tamanha a puta’ ‘quem é ele pra falar disso’ são tantos julgamentos que no fim, estão todos na merda.

Sentiu vontade de fazer? Faça. Beba. Diga. Dance. A vida não espera por nós. Mas esteja ciente das consequências. Não seja refém do orgulho. Você terá belas histórias para contar na velhice.

Vai tudo bem até chegar a notificação de alguém que te marcou muito, o coração acelera, as memórias voltam, o cérebro diz não mas o coração diz ‘vambora‘. E no fim, o que resta é a saudade daqueles dias que não voltam mais. E a gente acaba mais um fim de semana, no quarto, assistindo a Netflix, ou na mesa de um bar com amigos que não querem te ver na bad, acorda de ressaca no dia seguinte porque o álcool é sempre a melhor companhia. Cada um tem seu jeito de superar um amor que não deu certo e assim nós vamos caindo e levantando. A vida é isso. Afinal, cada um faz da sua vida o que bem entende, né? E ninguém tem nada a ver com isso.

HB.

 

Posts que você pode gostar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>